Fale conosco pelo WhatsApp

Como se tornar um detetive profissional?

Detetive profissional usando notebook

Interessante para quem gosta de enfrentar desafios e ajudar às pessoas, a profissão de detetive particular, reconhecida desde 2017, exige empenho e dedicação.

Se você deseja se tornar um detetive particular, saiba que esta é uma atividade já amplamente difundida no Brasil — e bastante requisitada, seja por pessoas físicas ou por pessoas jurídicas.

Como toda área de atuação, o trabalho de um detetive profissional demanda habilidades específicas, as quais podem ser inatas ou adquiridas, tais como capacidade de observação e conhecimento tecnológico.

O profissional não precisa ser formado em direito, por exemplo, mas convém que ao menos tenha boas noções da área jurídica ou o constante auxílio de um profissional da área, já que precisará delas para que seu trabalho sempre esteja alinhado com a lei — e também para facilitar a comunicação, caso haja necessidade, com advogados, policiais e até juízes em casos mais complexos.

O que faz um detetive particular?

Um detetive particular atua nas mais diversas áreas da vida em sociedade, sempre contratado por uma das partes envolvidas em casos os quais exijam a elucidação dos mais diversos problemas.

O detetive particular pode ser contratado por solucionar casos como:

  • Investigações conjugais;
  • Investigações empresariais;
  • Investigações de caráter familiar, como a procura por entes queridos desaparecidos, por exemplo;
  • Monitoramento;
  • Atividades de contrainteligência. 

Como fazer para ser um detetive?

A profissão de detetive particular foi reconhecida em 2017, através da Lei 13.432/2017 — sancionada, com vetos, pelo então presidente Michel Temer.

É importante observar que tal lei reconheceu, mas não regulamentou a profissão. Mas o que isso significa?

Houve um trecho vetado pelo ex-presidente o qual estipulava, exatamente, que a lei tinha por função “regulamentar” a profissão. Temer decidiu afastar a ideia de regulamentação da atividade visando possibilitar a execução de funções similares às de detetive por outros profissionais.

Embora a profissão não seja regulamentada, ela pode ser exercida naturalmente, desde que esteja dentro da legislação brasileira.

Como não existe uma regulamentação, não existem normas para que alguém exerça a profissão. Entretanto, para que seja possível compreender e ter a capacidade de realizar uma investigação, é necessário estudo na área, e até mesmo conhecimento do processo investigativo.

Além disso, é importante também que ao menos um sólido conhecimento da legislação penal brasileira o detetive precisa ter, especialmente porque este profissional deve realizar sua investigação de acordo com a legislação.

Embora possa ser de grande ajuda durante a investigação de um policial, o trabalho do detetive não se encontra na mesma esfera, tendo algumas particularidades.

Por exemplo, apenas por exercer a profissão, o detetive particular não garante a liberação para o uso de armas de fogo, tampouco pode invadir aparelhos eletrônicos e residências sem um mandado de justiça.

Quanto fatura um detetive?

Em média um bom detetive profissional, dono de uma carteira de clientes que recorrem a ele constantemente, por exemplo, fatura algo em torno de R$ 7.000 por mês — às vezes um pouco menos, às vezes um pouco mais.

A última medição, feita em 2017, apontava a existência de cerca de 50 mil detetives profissionais atuando no país como autônomos. Hoje este número deve ser um pouco maior.

Como se destacar na atividade em meio à concorrência?

O profissional se constrói enquanto figura de referência no ramo de detetive profissional atuando com qualidade ao longo dos anos. Trata-se de área essencialmente prática, não há faculdade dedicada a ela.

Deve-se, aliás, escolher com sabedoria quais casos pegar — e quais não pegar.

Detetives experientes relatam, por exemplo, que desaparecimentos têm de ser estudados bastante antes de serem aceitos, já que às vezes a pessoa desaparecida pode ter escolhido se isolar voluntariamente por um determinado tempo, e não quer ser encontrada, por exemplo. Isto pode tornar quase impossível a resolução do caso.

Competência, probidade, empenho, respeito à palavra dada, observância de prazos e postura ética são determinantes, enfim, para o sucesso nesta profissão. Cultive tais qualidades.