A desconfiança do cônjuge, de um filho e até mesmo de um sócio gera muitas dúvidas. Saber o que se passa quando estão longe pode ser algo difícil de detectar, entretanto quando tal desconfiança acende um sinal de alerta, pode ser a hora de procurar por ajuda especializada, ou seja, de um detetive particular.

Detetive particular para monitorar pessoas

Por mais que uma parcela não saiba o que um detetive particular faz, muitos já usufruíram do serviço deste profissional e conseguiram eliminar (ou comprovar) suas desconfianças. O trabalho realizado é denominado monitoramento de pessoas.

O trabalho de monitoramento e investigação, geralmente, estão relacionados a problemas conjugais, consumo de drogas por membros da família, desconfiança de sócios ou funcionários que possam estar lesando o patrimônio de uma empresa.

Existe toda uma metodologia para um que um detetive particular faça uma investigação. Esse profissional usa de diversos artifícios, podendo ser: investigação nas redes sociais, seguir os passos do investigado, usar escutas telefônicas e até se infiltrar em determinado local.

Câmeras escondidas em bonés, bolsas, óculos não são coisas que vemos somente nos filmes. Os detetives particulares fazem uso desses equipamentos como ferramentas de trabalho.

Existem equipamentos que colocados no carro de quem está sendo monitorado — GPS — transmitem informações precisas de onde essa pessoa se encontra e quais caminhos fez. Aplicativos de celulares são capazes de permitir que o detetive particular, ou até um leigo, acesse todos os aplicativos existentes no celular, redes sociais e até utilizem a câmera remotamente e transmitam imagens e sons do que está acontecendo no local onde o celular se encontra.

O avanço tecnológico tem colaborado bastante com o trabalho do detetive particular, mas de acordo com alguns profissionais, muitas vezes ainda é preciso ficar dentro do carro esperando que a pessoa saia de onde ela está para conseguir tirar uma fotografia ou até mesmo se infiltrar em algum local em busca das informações.

No contrato que é firmado entre detetive particular e cliente vão constar todas as informações necessárias sobre como será realizado o trabalho de investigação. É importante conter esses itens:

  • Período de investigação;
  • Urgência (caso tenha);
  • Valor que será cobrado;
  • Condições e prazos de pagamento;
  • Equipamentos que serão utilizados;
  • Cláusula de sigilo;
  • Informações que vão conter no relatório a ser entregue ao cliente.

Os valores, período da investigação, equipamentos que serão utilizados e informações do relatório são dados que variam de acordo com cada caso. A urgência e o tipo de resultado que o cliente busca e tem influência nos valores que serão cobrados pelo detetive particular, por exemplo.

É essencial ter um contrato, pois ele assegura que tudo será feito de acordo com o que ele coloca. É uma garantia tanto para o cliente quanto para o detetive particular.

Engana-se quem pensa que é fácil ser um detetive particular!

Além de tudo o que foi falado e de ter que estudar muito e ter que se manter sempre atualizado para poder oferecer os melhores serviços para os clientes, um detetive particular enfrenta muitas vezes situações arriscadas e complicadas durante uma investigação.

Alguns acabam sofrendo ataques físicos de pessoas que estão sendo investigadas ou têm até problemas com os próprios clientes. Outros acabam se machucando em perseguição ou outro tipo de atuação.

Fora esses exemplos, podemos dizer que muitas vezes os casos estão relacionados a questões familiares dos clientes o que envolve muitas emoções e o detetive particular tem que ter muito tato, empatia e discrição redobrada.

É uma profissão que traz bons rendimentos para aqueles que a cumprem da melhor forma e respeitam a profissão e seus clientes, mas assim como outras é preciso decidir por ela analisando bem os prós e contras. Ser detetive particular deve ser uma escolha feita com sabedoria.

solicite-um-orcamento-detetive-particular-luciana

Gostou? compartilhe
[social_warfare]