Conhecer as suas origens é um direito garantido pela Constituição Federal, mas nem todos sabem disso. Descobrir a sua filiação (pai e mãe), contudo, pode ser um processo difícil para quem não conhece a sua história. É por isso que a investigação de paternidade biológica é um trabalho que muitas vezes exige a contratação de um detetive particular.

Não possuir paternidade na certidão de nascimento ou até mesmo não saber onde está o seu progenitor é muito comum no Brasil. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, o Censo Escolar de 2011 evidenciou que havia 5,5 milhões de crianças sem a paternidade registrada no país. Contar com um detetive particular na hora de realizar a investigação de paternidade biológica é fundamental para chegar ao exame de DNA. É esse exame que comprova ou não a paternidade do indivíduo.

Entenda como funciona a investigação de paternidade biológica

Quando a investigação de paternidade é necessária?

A investigação de paternidade pode ser solicitada por qualquer pessoa maior de idade representada por seu advogado. Sendo menor de idade, é preciso que a mãe entre com o pedido também representada por um advogado.

Essa investigação pode acontecer até mesmo quando o suposto pai já tiver falecido. O exame de DNA nesse caso acontecerá com os parentes sanguíneos, caso eles concordem.

Em relacionamentos informais (união estável), o pai deve reconhecer em cartório a paternidade do filho. Por outro lado, isso não acontece em uniões formais. Qualquer filho que nasce em um casamento é pressuposto pela lei brasileira que o marido é o pai da criança.

Entre outras palavras, mesmo que o pai não conste na certidão de nascimento, ele é considerado o pai biológico. Já nas situações em que o pai não faz o reconhecimento, a mãe pode solicitá-lo em cartório. Assim, um juiz intima o suposto pai para uma audiência. Caso ele não compareça, inicia-se então o processo de investigação de paternidade.

Portanto, são variados os casos em que se pode recorrer à investigação de paternidade biológica:

  • Pai desconhecido;
  • Dúvidas com relação à paternidade;
  • Falecimento do suposto pai sem ser casado com a mãe.

Importância de um detetive particular na investigação de paternidade

Mesmo com todas as leis que permitem solicitar a investigação de paternidade e exame de DNA, nem sempre isso funciona. Há inúmeros casos em que o filho não sabe como encontrar o pai ou possui informações confusas.

A profissão de detetive particular é conhecida justamente pela expertise em encontrar pessoas e unir informações desconexas.

O detetive particular é o profissional que irá realizar a busca pelo suposto pai. Apesar de a justiça permitir a investigação de paternidade, é preciso ter informações para isso. Afinal, como intimar alguém para uma audiência de conciliação sem saber onde está morando?

Através de uma investigação com base nos depoimentos e informações do filho ou mãe, o detetive pode iniciar o trabalho. Ele irá analisar as informações e também complementá-las quando necessário através de novas pesquisas.

Por que esse trabalho de detetive particular é fundamental na investigação de paternidade biológica? Essa é uma questão simples de responder! Todas as informações encontradas serão fundamentais para a justiça.

É preciso ressaltar aqui que a justiça não se encarrega de investigar o paradeiro do suposto pai. Dessa forma, a investigação de paternidade pode não avançar caso o indivíduo esteja “desaparecido”. É justamente por dificuldades como essa que muitas pessoas acabam passando a vida toda sem a certeza da paternidade biológica.

O que um detetive particular faz é justamente viabilizar que a investigação de paternidade biológica tenha o fim adequado. Assim, assegura-se o direito a conhecer a sua origem de maneira clara e discreta.

solicite-um-orcamento-detetive-particular-luciana

Gostou? compartilhe
[social_warfare]